Categorias
Conteúdo

Quais os tipos de biometria existentes? Conheça os principais

Tempo de leitura: 3 minutos

Tipos de biometria: homem usando tecnologia de digitalização biométrica de impressão digital

Quando se fala em meios seguros para a identificação de usuários, controle de acesso e proteção de dados, é comum pensar nos tipos de biometria disponíveis. A técnica se baseia em características físicas únicas nas pessoas para garantir a segurança de ambientes físicos e digitais. 

Mas você sabe quais são os tipos existentes? Muitas pessoas associam a biometria apenas àquela feita com a digital, mas existem outras formas de fazer o reconhecimento do usuário.

Aqui, vale lembrar que o termo biometria trata das técnicas e tecnologias envolvidas para identificar as pessoas de maneira única a partir de características físicas ou comportamentais. Neste conteúdo, você conhecerá as principais maneiras de fazer esse reconhecimento. Vamos lá?

Impressão digital

Esse é o tipo mais conhecido: ele usa a impressão digital, que fica na falange dos dedos. As marcas e linhas desenhadas são únicas em cada pessoa, o que ajudaria a garantir a identificação correta. Inclusive, é o meio mais antigo utilizado para a biometria.

Ao fazer documentos, por exemplo, é normal que seja feita a coleta da impressão digital — no Registro Geral (RG) ela fica abaixo da foto. Além disso, ela pode ser usada para substituir a assinatura de pessoas analfabetas em documentos. 

A coleta e o reconhecimento podem ser feito por diversos tipos de sistemas, como leitores óticos ou capacitivos. O segundo você já deve conhecer, pois ele é usado em smartphones e tablets que oferecem a biometria de impressão digital como alternativa para bloquear e desbloquear o aparelho. 

Geometria das mãos

Essa leitura é feita considerando diversas características da mão, que, em conjunto, oferecem traços únicos para a identificação. Alguns pontos captados pelos sistemas são:

  • tamanho dos dedos;
  • tamanho e formato da mão;
  • desenho das articulações;
  • espaçamento entre os dedos.

Contudo, esse tipo de biometria tem algumas desvantagens. A principal trata das variações no posicionamento das mãos a cada verificação. Como são diversos fatores avaliados, nem sempre as leituras conseguem ser exatas. Além disso, anéis e acessórios podem prejudicar o resultado.

Reconhecimento de voz

O reconhecimento de voz ficou mais conhecido pelo uso de assistentes virtuais, como a Siri, a Cortana e a Alexa, que realizam ações solicitadas após reconhecer a fala do usuário. Porém, a aplicação também pode ser usada para a identificação de pessoas.

Nesse caso, a voz é capturada por microfones e as ondas analógicas são transformadas em dados digitais. Assim, eles são interpretados e analisados pelos sistemas para validar os acessos. Entretanto, ele encontra algumas limitações, já que existem diversos fatores que alteram a voz, como o envelhecimento e hábitos como o tabagismo. 

Reconhecimento de íris e retina

Antes de tudo, vale a pena esclarecer de que se trata essa forma de reconhecimento. A íris é a membrana que forma a parte colorida dos olhos, que também é única em cada pessoa, composta por fibras musculares.

Já a retina é a parte do fundo dos olhos, que conta com vários vasos sanguíneos. Nos dois casos, o organismo forma padrões únicos que permitem identificar o usuário. No entanto, a leitura pode causar incômodos, pois utiliza sensores infravermelhos e exige que a pessoa olhe fixamente para um determinado ponto durante o processo, que não é tão rápido.  

Reconhecimento facial

Você sabia que nem mesmo os gêmeos idênticos são realmente iguais? Esse fato faz com que o reconhecimento facial consiga identificar os usuários com bastante segurança, sem exigir contato com o sistema. 

Nesse caso, o sistema identifica cerca de mil pontos no rosto do usuário e válida eles para criar o registro por meio da conversão de imagem em dados. É como se a pessoa criasse um CPF digital. Assim, a imagem do usuário é captada por uma câmera que fará o reconhecimento para liberar o acesso.

E se você está se perguntando se não seria possível fraudar o sistema com fotos, vídeos, máscaras e outros artifícios, a resposta é não. A ferramenta conta com o Liveness Detection, uma tecnologia que identifica se a imagem captada é de um indivíduo vivo, combatendo as tentativas de spoofing.

Dessa maneira, esse é um dos tipos de biometria mais vantajosos, garantindo agilidade no reconhecimento (que é feito em menos de um segundo), conforto do usuário durante a captação e segurança na liberação de acessos em ambientes físicos e digitais.

Como foi possível notar, existem diferentes tipos de biometria, então é preciso saber como avaliar cada um para encontrar o ideal para as suas necessidades. Em todos os casos, conte sempre com uma empresa de confiança para implementar o sistema e garantir a proteção que você precisa. 

Gostou do conteúdo? Que tal aprofundar seus conhecimentos sobre o tema? Descubra 5 formas de uso da tecnologia de biometria facial!

Deixe uma resposta