Categorias
Conteúdo

O que é API e por que investir nessa interface para sua empresa

Tempo de leitura: 5 minutos

API: interface de programação de aplicativos em tela virtual

Mesmo que você ainda não saiba o que é API, sem dúvidas você já se deparou com essa interface ao navegar pela internet ou utilizar programas. Essa é uma ferramenta bastante interessante, pois auxilia em diversas tarefas e disponibiliza mais funcionalidades.

Por exemplo, você já acessou um site de hotel ou imobiliária, e se deparou com uma imagem gerada pelo Google Maps para mostrar a localização? Isso é possível graças à API. Portanto, ela pode ser usada para melhorar as experiências internas e externas da empresa, abrangendo colaboradores, fornecedores e consumidores.

Diante disso, é importante entender de que se trata essa interface e por que vale a pena investir nessas soluções. Tem interesse no assunto? Então, continue com a gente e saiba mais!

O que é API e como funciona?

API é a sigla de Application Programming Interface que, em português, significa Interface de Programação de Aplicativos. É uma tecnologia que permite que diferentes aplicativos e softwares conversem entre si, interligando os recursos necessários para o bom funcionamento das ferramentas. 

Ou seja, por meio dessa interface, dois ou mais programas ou plataformas distintas conseguem se comunicar a agregar funções. Para isso, são utilizados códigos específicos, disponibilizados pelo desenvolvedor, para conseguir integrar as funcionalidades desejadas. 

Um meio de pagamento online, por exemplo, pode ser integrado a um e-commerce por meio de uma API, permitindo que o usuário quite a compra sem precisar acessar outros sites. Então essa interface serve como ponte, transportando os dados entre o cliente e o servidor, sem que o usuário perceba os processos.

Quais são os tipos de API?

As APIs podem ser públicas, privadas ou parceiras, o que altera alguns detalhes sobre o seu funcionamento. Por isso, vale a pena entender as diferenças antes de pesquisar as soluções ideais para o seu negócio. 

API pública ou aberta

Essas APIs são desenvolvidas de modo que podem ser usadas por qualquer empresa ou desenvolvedor, sem se limitar apenas ao uso interno da organização ou do time responsável pelo projeto. Nesse caso, elas podem ser gratuitas ou pagas, com diversas modalidades de pagamento (créditos, mensalidades etc.). Um exemplo conhecido e já citado neste post é o Google Maps. 

API privada

Nesse caso, a API é desenvolvida para ser utilizada exclusivamente por uma organização, fornecendo acesso aos sistemas e dados internos. Por se tratar de uma API privada , são acessadas apenas pelos desenvolvedores e pessoas autorizadas. Geralmente, o seu uso é focado em otimizar processos e integrar informações de diversos setores ou sistemas. 

API parceira

O diferencial desse tipo de API é que ela conta com uma ferramenta de controle de acesso, permitindo liberar as funcionalidades para determinados usuários e parceiros de negócios. 

Quais os benefícios de investir em API?

Agora que você já sabe o que é API, que tal aprender mais sobre as vantagens que essa interface pode trazer? Nem sempre as empresas entendem o potencial dessa ferramenta, então separamos alguns pontos que demonstram por que vale a pena investir nessa opção. 

Poder de integração e versatilidade

Um dos principais benefícios é a facilidade de integração e a versatilidade das APIs, já que eles são desenvolvidos de modo a se encaixarem facilmente em outros sistemas, mesmo que eles sejam diferentes. Os outros tipos de ferramentas costumam exigir a compatibilidade entre softwares, limitando bastante o uso ou exigindo alterações nas plataformas utilizadas.

Isso reduz o tempo necessário para acrescentar novas funcionalidades aos sistemas, o que também afeta os recursos financeiros investidos e aumenta os benefícios. Como a opção facilita a integração e troca de dados, também fica mais fácil criar conexões com empresas parceiras

Simplificação de processos

Como as APIs são integradas aos sistemas já existentes, elas podem ajudar a simplificar os processos da empresa por meio do acréscimo de funcionalidades, sem que isso exija um longo trabalho dos desenvolvedores na criação de novos códigos e funções. 

Ademais, ao proporcionar a integração dos sistemas, a interface também automatiza os processos de troca de informações e extração de dados. Isso reduz a necessidade de trabalho manual e facilita a conclusão das tarefas, enquanto o restante do time consegue se dedicar às outras atividades importantes para o negócio. 

Melhora na experiência do usuário

A API é utilizada sem que isso seja notado pelo usuário final, o que significa que todas as ações conseguem ser feitas sem a necessidade de trocar de ambientes e concluir mais etapas. Outro ponto é que a existência dessas interfaces permite que a empresa procure soluções e melhorias constantes para o seu sistema, principalmente diante da facilidade de customização. 

Em geral, a inclusão das APIs não alteram as ações normalmente adotadas pelos usuários, então não é necessário que eles mudem a rotina constantemente. A prática tem impactos positivos no ambiente interno, mantendo o dia a dia dos colaboradores ao utilizar o sistema, mas também traz benefícios em relação aos clientes, como acontece nos e-commerces. 

Segurança de dados

A praticidade não prejudica a proteção dos dados compartilhados por meio da API. Na verdade, a interface desenvolvida conta com ferramentas de segurança para controlar o compartilhamento de informações, limitando o acesso aos itens que são realmente necessários para o seu funcionamento. 

No entanto, é válido  destacar a importância de procurar boas parcerias para a instalação da API, para ter certeza sobre a adoção de todos os cuidados necessários para proteger a sua empresa e os seus clientes. 

Por que ter um API de reconhecimento facial?

Depois de conhecer o que é API e os benefícios, vale a pena entender as diferentes soluções do mercado. Uma alternativa que merece destaque é o uso de ferramentas de reconhecimento facial para a proteção de dados nos ambientes digitais, como e-commerces, softwares de gestão, aplicativos, entre outros. 

Para isso, vale conhecer o lVision Api, desenvolvido pela FullFace. A API pode ser integrada a qualquer software e hardware de captura de imagem, utilizando a biometria facial para identificar usuários e validar os acessos. 

Isso é feito com aplicação de uma tecnologia diferenciada, que captura as imagens e converte-as em dados, criando um CPF facial que evita a manutenção de bancos com diversas fotografias. Assim, cada usuário tem um código de identificação único para trazer mais segurança.

A captação e identificação da imagem é feita em menos de um segundo e considera mais de 1000 pontos do rosto dos usuários antes de liberar o acesso. Dessa forma, a API traz toda a proteção que o seu sistema precisa.

E quem deseja mais soluções como essa, também é possível contar com soluções de controle de logins em ambientes corporativos, liberação e monitoramento de acessos físicos e proteção de lockers, tudo isso de forma contactless. 

Então, gostou de aprender o que é API e os benefícios que eles proporcionam? Essa interface facilita o acesso a diversas ferramentas pela empresa, então vale a pena considerar essas soluções para implementar melhorias nos sistemas internos.

Se você quer saber mais sobre essa alternativa, acesse o site da FullFace e conheça as nossas soluções!

Deixe uma resposta