Categorias
Biometria Facial Conteúdo

Otimize o controle de acesso físico com a biometria facial

Tempo de leitura: 4 minutos

Descubra como a biometria facial pode ser usada para otimizar o controle de acesso físico e os benefícios que isso proporciona!

Você já pensou em utilizar a biometria facial para otimizar o controle de acesso físico? A pandemia de Covid-19 em 2020 provocou algumas necessidades do mercado e serviu para acelerar a adesão das pessoas a alguns processos tecnológicos.

A necessidade de manter o distanciamento social, assim como as práticas de desinfecção de superfícies, mudou as relações pessoais e a forma como muitas interações são feitas. Nesse cenário, as soluções com tecnologia contactless exercem um papel importante para facilitar as ações realizadas no dia a dia, garantindo a proteção de todos.

A biometria facial é uma das alternativas existentes e que possibilita a aplicação em diversos setores. Neste conteúdo, nós vamos explicar com detalhes como ela funciona e pode ser utilizada no controle de acesso físico em espaços públicos e privados. Confira!

O que é a biometria facial?

Quando se fala em biometria, é comum associar ao reconhecimento da impressão digital. Porém, também é possível fazer isso por meio do reconhecimento facial, pois o rosto humano conta com diversos traços únicos que identificam e diferenciam cada pessoa. Mesmo com as mudanças que acontecem no decorrer do tempo devido ao envelhecimento, algumas características permanecem iguais com o passar do tempo, como:

  • comprimento do nariz;
  • distância entre os olhos;
  • contorno da face;
  • formato dos olhos e do nariz.

E características superficiais não interferem na análise, então não faz diferença ter ou não barba, se maquiar ou fazer uma plástica. Somente quando acontecem mudanças estruturais, como em casos de deslocamento de ossos como o maxilar ou afundamento do crânio é que o sistema precisará ser atualizado.

Por causa disso, a biometria facial tem cada vez mais utilidade no controle de acesso físico, mas também proporciona outras aplicações, como os meios de pagamento, substituindo o uso de dinheiro e cartões. Inclusive, especialistas acreditam na tendência de que a tecnologia substitua identidades, cartões e senhas. Incrível, não é mesmo?

Qual a importância do controle de acesso físico?

O controle de acesso físico é uma medida de segurança importante para espaços públicos e privados. Ele ajuda a manter o controle sobre as pessoas que entram no espaço, podendo ser utilizado como ferramenta para impedir a entrada em áreas restritas e, até mesmo, perigosas.

Por isso, essa é uma ferramenta muito utilizada em empresas, que precisam controlar entrada de funcionários, restringir o acesso de estranhos, proteger espaços e atender outras demandas relacionadas ao monitoramento de ambientes. Isso ocorre em qualquer ramo de atividade, por isso é importante se atualizar em relação ao uso da tecnologia.

Mas a prática não se limita aos negócios, pois também tem algumas aplicações importantes para as pessoas. Por exemplo, os condomínios que contam com portarias e precisam controlar os acessos para a segurança dos moradores também podem contar com a tecnologia, que traz mais tranquilidade e eficiência para esse empreendimento.

O mercado oferece diversas alternativas para isso, como cartões de acesso, crachás, biometria digital e pontos eletrônicos, mas elas envolvem desenvolvimento de documentos e contato. Porém, o reconhecimento facial traz uma tecnologia interessante para otimizar o controle de acesso físico.

Quais são os benefícios do reconhecimento facial?

O reconhecimento facial como medida de controle de acesso físico traz diversos benefícios, então listamos os principais para que você entenda por que vale a pena contar com essa tecnologia. Acompanhe!

Segurança

As características do rosto de cada pessoa é única. Mesmo que existam semelhanças entre indivíduos, alguns pontos vão diferenciá-los. Isso é decodificado pelo sistema para fazer a análise do rosto, que percebe a autenticidade do usuário.

Como não é possível replicar todos os pontos da face, o sistema conta com ferramentas de segurança para garantir que a análise seja feita em organismos vivos, ou seja, uma foto ou vídeo não burlam essa tecnologia, a biometria facial é uma ótima alternativa para a prevenir fraudes de identidade.

Praticidade

O reconhecimento facial pode ser feito com a instalação de câmeras que fazem a detecção automática da imagem do rosto, o que pode acontecer por proximidade ou à distância. O cruzamento dos dados é feito na hora e a liberação é quase instantânea. Ou seja, o acesso é feito de forma mais rápida, sem precisar apresentar documentos ou ter outras ações, além de evitar filas e aglomerações.

Quando já existe um sistema de controle de acesso, é possível encontrar ferramentas de biometria facial que podem ser integradas com  facilidade. Sem dúvidas, isso diminui os impactos da mudança e facilita a adaptação.

Contactless

A necessidade de isolamento social deixou em evidência a importância de ter medidas para evitar contatos desnecessários, já que existe o risco de transmitir doenças. Além disso, cartões e crachás, que são bastante comuns, também podem ser esquecidos e passam por desgastes com o tempo, o que pode trazer alguns erros na leitura e proibir o acesso.

Assim, conseguir realizar o controle sem precisar de contato é uma vantagem muito interessante. O reconhecimento facial detecta os traços do rosto da pessoa para confirmar a identidade, registrando a entrada e liberando o acesso, dependendo das configurações do sistema.

Como implementar o controle de acesso físico com biometria facial?

Se você acredita que o controle de acesso com biometria facial é uma solução interessante, provavelmente quer saber como é possível fazer isso, não é? A dica é encontrar uma empresa que forneça um sistema de qualidade, garantindo a segurança e a praticidade necessárias para ter sucesso com a estratégia.

Uma ótima dica para isso é contar com as soluções da FullFace, uma startup que está no mercado desde 2012, investindo em soluções de identificação pessoal com reconhecimento facial. O sistema desenvolvido mapeia mais de mil pontos no rosto, compreendendo questões como volume de ossos e demais características necessárias.

Tudo é armazenado por meio de dados — uma sequência numérica, sem imagens, como se fosse um ID facial. Isso aumenta a proteção, já que não é possível ter acesso às fotos e registros dos usuários, nem reconstruí-los utilizando os dados acessados, tornando o processo compliance à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

IVision Control

Essa plataforma desenvolvida pela Fullface faz o controle de acesso físico utilizando tecnologia de reconhecimento facial para identificar pessoas. Indicada para locais públicos e privados, a ferramenta é facilmente integrada aos softwares e hardwares necessários para a captura de imagens dos indivíduos.

A identificação é feita em menos de meio segundo, proporcionando todas as vantagens que as empresas precisam: agilidade, praticidade, segurança e confiabilidade no sistema.

Pronto! Agora que você já sabe como a biometria facial pode ser utilizada para otimizar o controle de acesso físico, quais os benefícios que isso proporciona e como implementar essa estratégia, procure ferramentas de qualidade e evolua sua empresa.

Então, este post esclareceu o tema? Quer saber mais sobre como a biometria facial pode ajudar a sua empresa? Acesse agora o site da FullFace e conheça as nossas soluções!

Categorias
Conteúdo Inovação

Contactless: tudo sobre essa tecnologia para pagamentos sem contato físico

Tempo de leitura: 3 minutos

Descubra como funciona a tecnologia Contactless para fazer pagamentos sem contato físico e como isso pode beneficiar a sua empresa!

A tecnologia Contactless ganha cada vez mais espaço na sociedade. Potencializada pelas necessidades de evitar contato físico que surgiram em 2020, a opção já vinha crescendo em 2019 e se tornou uma grande tendência.

Como o próprio nome diz, traduzido para o português, a tecnologia permite a realização de tarefas, como pagamentos, sem contato físico — nada de pegar dinheiro na carteira ou digitar senhas em maquininhas de cartão.

Quer entender como funciona essa forma de pagamento e os benefícios que ela proporciona para as empresas? Então continue a leitura deste post!

Quais são os tipos de pagamentos com tecnologia Contactless?

Entender o conceito de Contactless não é difícil, mas as dúvidas surgem quando se pensa em como isso é colocado em prática. Existem várias maneiras de fazer isso, então listamos as principais para que você entenda as soluções existentes.

Aproximação

A tecnologia por aproximação é comum em celulares e cartões de crédito ou débito. É bem simples o comprador aproxima o smartphone com aplicativo de pagamento, ou um cartão habilitado para essa função de maquininha que faz a leitura dos dados.

Reconhecimento facial

O reconhecimento facial parece cena de filme, ou tecnologia de ponta acessível apenas para poucas pessoas, mas já faz parte da realidade dos consumidores. Com recursos avançados que analisam até mil pontos do rosto do cliente, eles autorizam o pagamento ao reconhecer o usuário.

Extremamente seguro, já que também conta com ferramentas para evitar que fotografias e vídeos possam ser utilizados para fraudar o sistema, ele pode reconhecer o consumidor e realizar a transação automaticamente a partir de câmeras e qualquer tipo de hardware, como celulares, tablets e webcams. Assim, a rapidez no atendimento se torna outra vantagem.

Reconhecimento de voz

Outra forma de utilizar a tecnologia Contactless é pelo reconhecimento de voz, identificando todas as características vocais, como timbre, entonação, intensidade e, até mesmo detalhes importantes como o sotaque. Dessa maneira, logins e senhas escritas também são dispensados para realizar as transações.

Reconhecimento de íris

A íris é a parte do olho responsável pela coloração e pode ser usada como forma de reconhecer a pessoa. Cada indivíduo conta com características específicas na íris, que é formada por diversas fibras musculares, como impressão digital. Dessa maneira, um aplicativo com leitor ótico identifica o consumidor e confirma o pagamento.

QR Code

O QR Code é uma tecnologia bem conhecida, uma imagem é fornecida pelo vendedor e deve ser lida utilizando a câmera do celular do comprador, utilizando programas específicos. Não é tão prático quanto as outras opções como o reconhecimento facial, porém, evita o contato e traz segurança para a transação.

Como é a adesão dos consumidores a esse tipo de pagamento?

De acordo com dados coletados pela Juniper Research, uma empresa especializada em pesquisas de mercado e Business Intelligence, a previsão é que o total de transações feitas com pagamento Contactless no mundo atinja US$ 2 trilhões em 2020. Para 2024, os números indicam que o valor será de US$ 6 trilhões.

Para explicar melhor esse cenário, também temos uma pesquisa feita no Brasil com dados colhidos em janeiro de 2020, ou seja, antes mesmo das medidas de isolamento se tornarem necessárias. A Capterra fez um levantamento demonstrando que 59% dos consumidores já realizaram operações de pagamento por aproximação, enquanto 57% fizeram o pagamento por QR Code.

Quer um dado ainda mais interessante? Metade dos consumidores que informaram não terem utilizado essa forma de pagamento disseram que isso acontece pela falta de oportunidades, pois os estabelecimentos não contavam com máquinas que aceitassem o Contactless. Basicamente, o uso só não é maior porque diversas empresas ainda não investiram nessa solução.

Quais os benefícios de adotar o pagamento Contactless na empresa?

Se você ainda tem dúvidas sobre o uso dos pagamentos Contactless, precisa entender quais são os benefícios que ele pode trazer para o seu negócio, veja só:

  • agilidade no pagamento: eles tornam o pagamento mais rápido, então os processos da empresa se tornam mais ágeis;
  • qualidade do atendimento: a rapidez faz com que os clientes enfrentem menos filas para concluir as compras, então ficam mais satisfeitos;
  • redução de fraudes: essa tecnologia conta com criptografia e diversas proteções, então a sua empresa terá mais segurança ao realizar as transações;
  • democratização dos meios de pagamento: a tecnologia traz novas possibilidades para os consumidores e reduz a manipulação de dinheiro.

Nas opções que contam com biometria como o reconhecimento facial, existe ainda mais segurança, já que não é algo que possa ser replicado por fraudadores. Dessa forma, aproveitar a tecnologia Contactless para pagamentos é uma ótima opção para a sua empresa se destacar no mercado.

Este post esclareceu o assunto? Aproveite para se manter atualizado com outras informações incríveis sobre tecnologia seguindo as nossas redes sociais: Instagram e Linkedin!

Categorias
Conteúdo

A segurança da informação e os impactos da transformação digital

Tempo de leitura: 6 minutos

Entender os impactos da transformação digital na segurança da informação é fundamental para adotar medidas de proteção para os dados da empresa.

A segurança da informação trata da proteção dos dados físicos e digitais de pessoas ou empresas. Porém, o termo tem uma relação mais próxima com a tecnologia e os sistemas eletrônicos, especialmente diante da transformação digital.

O uso de soluções tecnológicas é fundamental para quem busca vantagem competitiva ao proporcionar benefícios como a automatização de tarefas, otimização de processos, redução de custos e aumento da produtividade. Mas não podemos esquecer que isso traz impactos e desafios para a segurança dos dados,exigindo a adoção de algumas medidas para se adequar.

Neste conteúdo, vamos esclarecer a importância da segurança da informação, os impactos da transformação digital nesse conceito e como a sua empresa pode se adaptar a esse cenário. Confira!

Qual é a importância da segurança da informação?

Uma análise rápida das relações humanas e comerciais permite constatar facilmente que o mundo é cada vez mais digital e menos físico. As interações sociais acontecem por meio de aplicativos, reuniões nas empresas são feitas por videoconferência, entrevistas e treinamentos são feitos online, os documentos são assinados digitalmente e, muitas vezes, nem sequer contam com uma cópia física. 

Esses são apenas alguns exemplos do papel da tecnologia no dia a dia das pessoas, que mantêm um crescimento contínuo. Ao mesmo tempo, essa transformação digital aumenta o volume de dados dos usuários e empresas registradas em sistemas ou aplicativos. 

Tudo isso traz facilidades para a rotina, mas é preciso atenção. O ponto de preocupação é que podem acontecer ataques digitais, problemas na tecnologia escolhida ou, até mesmo, falhas humanas que resultem em brechas no sistema, resultando na perda de dados ou no acesso por terceiros não autorizados.

Papel da segurança da informação na empresa

Tudo o que foi descrito faz com que a segurança da informação englobe as medidas de proteção para evitar vulnerabilidade e vazamento desses dados. Diante de vulnerabilidades no sistema, as informações confidenciais do negócio podem ser utilizadas por terceiros mal intencionados, roubando segredos empresariais e utilizando-os de forma indevida.

Também não podemos ignorar que, se a prática afetar os dados de usuários, isso prejudica a imagem da empresa na sociedade. A consequência é a perda de confiança do mercado, que impactará diretamente os resultados do negócio e, ainda, pode gerar o risco de ser alvo de ações judiciais, com o pagamento de multas e indenizações.

Por fim, se considerarmos que o andamento do negócio depende do acesso aos dados, é fácil entender que problemas nos sistemas e hardwares utilizados trazem grandes desafios se a empresa não contar com medidas para recuperação das informações, como o backup.

São vários fatores que impactam as rotinas do negócio e trazem desafios que devem ser superados para manter a proteção de dados e reduzir a exposição aos riscos existentes.

Princípios da segurança da informação

Devido à importância da segurança da informação, ela deve seguir alguns princípios básicos para atender a todos os seus objetivos. São eles:

  • confidencialidade: pessoas e dispositivos não autorizados não devem conseguir acesso aos dados;
  • confiabilidade: garante a credibilidade das informações disponibilizadas ao usuário;
  • integridade: os dados não podem ser alterados sem a devida autorização ou sem a identificação de quem modificou o registro;
  • disponibilidade: as informações devem estar disponíveis para serem acessadas pelas pessoas e entidades autorizadas;
  • autenticidade: é preciso adotar meios para validação do acesso, como senhas, logins, CAPTCHAS, etc.

Quais os impactos e desafios da transformação digital?

Na mesma medida em que a transformação digital traz benefícios, ela também traz alguns desafios e riscos que devem ser superados. 

Existem diversas situações que exigem um compartilhamento maior de dados, como o trabalho remoto, que exige a disponibilização de dados para os colaboradores em diversos locais, e o crescimento dos pagamentos móveis, que usam sistemas para validar dados e autorizar transações bancárias.

O uso crescente da internet como meio de comunicação e compartilhamento de dados é outro fator importante. São nesses cenários que muitos impactos em relação à segurança da informação se tornam mais evidentes. Saiba mais a seguir.

Regulamentação legal

A relevância do assunto é tanta que, diante do cenário de transformação digital e necessidade de proteção de dados, a segurança da informação foi alvo de regulamentação jurídica. Na União Europeia, a General Data Protection Regulation (GDPR) deve ser seguida por todas as empresas que atendam usuários da região, então pode afetar empresas brasileiras.

Por outro lado, o Brasil também desenvolveu uma norma sobre o assunto: a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). Ambas trazem requisitos que devem ser observados para manter a proteção dos dados dos usuários, garantindo direitos aos titulares e penalidades para as empresas que descumprirem a legislação.

Funcionamento da LGPD

A data de entrada em vigor ficou incerta devido à pandemia de COVID-19. Isso deveria acontecer em agosto de 2020, mas com os impactos trazidos pelo coronavírus, o Governo editou a Medida Provisória n.º 959 que definiu um novo prazo: dia 24 de maio de 2021.

Até lá, as empresas precisam investir em medidas para se adequar às regras sobre tratamento de dados. Agora, a coleta e o tratamento dos dados pessoais só podem acontecer mediante autorização prévia do titular ou seu responsável.

Como o consentimento deve acontecer de forma clara, inequívoca e específica, os usuários devem ser informados sobre as finalidades de uso dos dados e receber comunicados diante de qualquer vazamento ou risco. A legislação prevê penalidades que vão desde multa até a proibição de exercer atividades relacionadas ao tratamento de dados pela empresa.

Exposição a riscos

Novas tecnologias trazem inovação, mas também geram novos riscos. Assim, a transformação digital exige maior atenção e medidas de segurança para a proteção dos dados armazenados pela empresa contra diversas ameaças, por exemplo:

  • clonagem e roubo de dados bancários;
  • espionagem industrial;
  • ransomware;
  • phishing;
  • ataques DDoS;
  • manipulação de dados.

Além dos prejuízos diretos causados quando um dos riscos se concretiza, também existem danos colaterais, como já dissemos anteriormente. Os que trazem maior preocupação são o enfraquecimento da marca diante das notícias sobre a vulnerabilidade dos dados e as ações judiciais movidas por clientes que foram lesados.

Inovação constante

A transformação digital traz um cenário de inovação constante que acarreta impactos diretos na segurança dos dados.  Na era da Internet das Coisas (IoT), todos os anos surgem novas tecnologias, como aplicativos e processos que podem ser aplicados nas empresas e, consequentemente, novos riscos.

Isso faz com que as medidas de segurança de dados precisem passar por alterações constantes para acompanhar as inovações e proporcionar a proteção das informações. Sem dúvidas, esse é um grande impacto e traz desafios importantes para o setor.

Como manter a segurança da informação nesse cenário?

Diante dos impactos da transformação digital, é fundamental saber como manter a segurança da informação na empresa a fim de atender à legislação e reduzir os riscos. É aqui que surgem muitas dúvidas: afinal, como colocar isso em prática? Veja algumas dicas:

  • use softwares seguros e atualizados: sempre verifique se o desenvolvedor segue as diretrizes das leis de proteção de dados e as medidas de segurança adotadas;
  • crie políticas de segurança: tenha regras claras sobre as práticas de proteção que deverão ser observadas pelos colaboradores e demais usuários;
  • tenha um bom controle de acesso: invista em ferramentas de controle de acesso que aumentem a segurança ao validar a identidade do usuário;
  • treine os colaboradores: ofereça treinamentos para que eles entendam os riscos existentes e como fazer o uso correto dos sistemas utilizados;
  • invista na criptografia: a criptografia dos dados é uma proteção adicional, que codifica as informações para que terceiros não consigam interpretar os dados;
  • tenha backups: invista em ferramentas de backup para garantir a recuperação de dados de forma eficiente, sempre escolhendo os meios criptografados e com tecnologias que protejam as informações contra o acesso de terceiros.

Aqui, o reconhecimento facial se torna uma solução interessante. Diferentemente da biometria atrelada à impressão digital, ela libera o acesso do usuário ao sistema ou aos dados solicitados após detectar se as características faciais da pessoa correspondem ao registro — são mais de mil pontos avaliados antes de liberar o acesso.

Para complementar, o sistema tem ferramentas para garantir que se trata de um organismo vivo, prevenindo o uso de fotografias, vídeos e outros artifícios que poderiam ser empregados com a intenção de burlar esse sistema.

Além disso, ele não exige contato das partes com documentos ou com equipamentos específicos, trazendo ainda mais segurança ao optar por uma tecnologia contactless (sem contato). Diante de um cenário em que as pessoas buscam proteção e a redução das interações físicas, a solução é bastante promissora.

Como vimos, a transformação digital traz grandes impactos na segurança da informação, exigindo atenção constante da empresa para implementar as melhores práticas de proteção. Para ajudar, conte sempre com sistemas e equipamentos de qualidade, além de parcerias especializadas.

Quer acompanhar outras dicas como essas? Então assine a nossa newsletter e receba por e-mail as novidades do nosso blog!

Categorias
Conheça a Fullface Conteúdo Inovação

Blog da FULLFace: uma constante troca de conhecimentos

Tempo de leitura: < 1 minuto

 

Boas-vindas ao blog da FULLFace!

Obrigada por estar aqui. Temos certeza que esse é apenas o início de uma relação com muita troca de conhecimento!

Desde 2013, a FULLFace é uma empresa que trabalha com a missão de quebrar paradigmas como interoperabilidade, escalabilidade e eficiência, trazendo uma tecnologia de ponta para o mercado e seus clientes.

Desenvolvemos uma tecnologia de biometria facial capaz de analisar mais de 1024 pontos da estrutura óssea de cada indivíduo. Além disso, esses pontos são convertidos em dados, que não serão disponibilizados para ninguém. 

Privacidade e Segurança são palavras de ordem por aqui!

Você já imaginou poder sair de casa sem precisar levar um objeto indispensável para realizar uma compra, por exemplo, ou não precisar memorizar diferentes senhas? Certamente, é um pensamento interessante!

Aqui, queremos falar sobre tecnologia algo pelo qual somos apaixonados e que está cada dia mais presente em nossas vidas. Olhe ao seu redor. Estamos cercados por este conjunto de métodos, técnicas, processos e habilidades.

Toda semana, vamos disponibilizar um novo conteúdo para que você possa, cada vez mais, fazer parte desse mundo, que envolve a troca de conhecimentos.

Acompanhe os próximos posts!

Se você quiser saber mais sobre a Fullface acesse fullface.com.br

👋