Categorias
Conteúdo

Como o reconhecimento facial pode beneficiar sua empresa

Tempo de leitura: 5 minutos

Mulher realizando reconhecimento facial usando celular

O reconhecimento facial é uma prática para validação de usuários que pode ser usada de diversas formas por pessoas e empresas públicas ou privadas. Essa é uma solução que utiliza biometria ao capturar diversos pontos da face para identificar quem fez o acesso à ferramenta. 

Como ela tem diversas possibilidades de aplicação, a tecnologia ganha cada vez mais espaço no mercado, o que torna essencial que as empresas entendam o seu funcionamento e benefícios. Dessa maneira, é possível se manter competitivo e ter mais segurança nas rotinas do negócio.

Você tem interesse nesse assunto? Então, confira este conteúdo para entender as aplicações e benefícios do reconhecimento facial para a sua empresa!

O reconhecimento facial no mercado

A biometria facial ganha cada vez mais espaço no mercado pela segurança que proporciona ao fazer o reconhecimento de forma rápida, sem exigir contato e com agilidade no processamento das informações. Inclusive, vale lembrar que a pandemia de coronavírus deixou em evidência a necessidade de evitar contatos desnecessários a fim de reduzir riscos de transmissão de doenças. 

Um dos pontos que impulsiona o crescimento do reconhecimento facial é a adesão da tecnologia pelo mercado. Diante disso, a tendência é que o setor que trabalha com essa ferramenta cresça até 18% até 2026

Além disso, um estudo realizado diante do cenário de pandemia, demonstrou que a busca por soluções de biometria facial aumentou de 6,2% das vendas do segmento de tecnologia inteligente para 13,7%. Isso significa que o aumento foi de 120%, números incríveis para o setor. 

Outra tendência é o uso da ferramenta para proteção de áreas com acesso restrito, fazendo o controle de quem entra e sai do espaço para proporcionar mais proteção. Além disso, a tecnologia também é aplicada como forma de pagamento contactless, trazendo mais possibilidades para o mercado.

Como essa tecnologia funciona

A tecnologia funciona com a captura da imagem do usuário que será convertida em dados, que ficam registrados no programa utilizado para fazer o reconhecimento. São cerca de mil pontos identificados e validados para criar uma espécie de CPF digital para a pessoa.

Dessa maneira, a cada acesso a captura dos dados é comparada com os registros do sistema para validar a entrada. Apesar de parecer simples, o sistema é complexo e conta com ferramentas importantes para aumentar a segurança, como a liveness detection, que é uma prova de vida do usuário. 

Em outras palavras, a tecnologia traz segurança porque não é suscetível a fraudes com uso de imagens capturadas, máscaras e outras práticas para enganar o sistema. Tudo isso é feito por meio de três etapas que explicamos:

  • captação e detecção da face do usuário;
  • conversão da imagem em dados;
  • validação com as informações do software. 

Aplicações da biometria facial

O reconhecimento facial é uma tecnologia bastante versátil, então pode ser aplicada de diversas formas nas empresas. Se você ainda não conhece todas as possibilidades, confira a seguir quais são as principais.

Identificação de usuários

A segurança nos ambientes digitais é essencial para as empresas, que podem ser responsabilizadas pelas falhas e fraudes, e para os usuários, que sofrem prejuízos diante de vazamento de informações e acessos feitos por terceiros. 

Normalmente, isso é feito com o uso de senhas, biometria da impressão digital, autenticação de dois fatores ou, nas opções mais modernas, o reconhecimento facial. Ela pode ser usada em sites, e-commerces, internet banking  e outros aplicativos.

Proteção de dados

Uma das principais preocupações nas empresas é o combate às fraudes corporativas. A legislação traz diversas medidas de combate à corrupção e outras práticas que ameacem o sistema financeiro. Em complemento, a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) traz requisitos que devem ser observados pelas empresas sobre o tratamento de dados e a segurança das informações.

Assim, um dos pontos fundamentais é a proteção das ferramentas digitais, que também pode ser feita com a biometria facial. É possível gerenciar acesso a softwares de gestão, sistemas bancários, e-mails e outros sistemas usados na empresa. 

Controle de acesso físico

O controle de acesso físico é feito para manter um registro sobre as pessoas que entraram e saíram do local, os horários em que isso aconteceu e, até mesmo, evitar que terceiros entrem em espaços não autorizados. Nas empresas, é bastante comum que existam ambientes de circulação proibida para estranhos, exigindo medidas adequadas para evitar a prática.

Muitas empresas decidem fazer isso com a implementação de crachás e portarias, ou reconhecimento por biometria da digital. Porém, o reconhecimento facial é uma maneira mais eficaz e ágil para isso. E não se trata de simples controle de acesso: a ferramenta pode ser usada para tarefas como controlar embarques em aeroportos, fazer cadastros em eventos, entre outras.

Proteção de lockers

Os armários para guarda de objetos pessoais dos trabalhadores, uniformes e equipamentos de proteção individual são essenciais. Para isso, eles precisam ter segurança para que não sejam violados, caso contrário, o empregador pode ter problemas por não proteger o ambiente.

Cadeados e fechaduras simples, infelizmente, podem ser violados, diminuindo a eficácia dessa medida de proteção. Essa é outra aplicação do reconhecimento facial: os lockers usam a biometria para liberar a retirada de objetos. 

Vantagens de utilizá-la na empresa

Só de observar as aplicações do reconhecimento facial na empresa, já é possível observar algumas vantagens. Porém, se você ainda tem dúvidas, separamos três grandes benefícios que você pode aproveitar com essa tecnologia.

Valoriza a segurança

O uso da biometria facial nos processos das empresas dá ainda mais destaque para a segurança. O funcionamento da tecnologia é voltado à prevenção de fraudes e falsidade ideológica. Dessa maneira, todos os bens materiais e imateriais da empresa (como os dados), ficam protegidos com um controle de acesso mais eficaz.

Fácil integração

As ferramentas de reconhecimento facial são desenvolvidas de modo que possam ser integradas a outros sistemas com mais facilidade. O objetivo é que a empresa tenha condições de manter seus softwares ativos, apenas acrescentando funcionalidades ao integrá-lo com um software ou hardware que faça a captura de imagem, que será usada na biometria.

Facilidade de acesso

Por fim, o acesso é facilitado aos usuários. O processo de reconhecimento e muito rápido: em menos de 1 segundo a imagem é capturada e validada, evitando gargalos no acesso, especialmente em locais que podem ter filas. 

Como aplicar o reconhecimento facial na empresa?

Se você já se convenceu dos benefícios que o reconhecimento facial pode trazer para a empresa, é preciso ter ferramentas adequadas para conseguir aproveitar todo o potencial. Por isso mesmo, acreditamos que a FullFace é a solução ideal.

Temos uma plataforma completa com quatro soluções de biometria facial que incluem as aplicações que citamos no post. Dessa maneira, a sua empresa consegue implementar ferramentas completas para otimizar a segurança e o controle de acesso físico ou digital.

Deu para perceber que o reconhecimento facial traz diversas vantagens para a empresa e conta com aplicações excelentes para otimizar as rotinas do negócio? Então, não perca tempo e se organize para implementar essa tecnologia e aproveitar todos os benefícios.

Se você se interessou por essa solução e quer saber mais sobre as suas aplicações, acesse o site da FullFace e conheça mais sobre as soluções da plataforma lVision.

Categorias
Conteúdo

KYC (Know Your Customer): o que é, para que serve e como aplicar

Tempo de leitura: 4 minutos

Know Your Customer: dedo pressionando ícone de pessoa

O conceito de Know Your Customer (KYC) é uma estratégia importante para conseguir desenvolver diferenciais para a segurança da sua empresa, especialmente se ela atua no mercado financeiro. Você já está familiarizado com este conceito? A verdade é que muitos gestores ainda não sabem de que se trata ou os benefícios de aplicar essa prática no negócio.

Porém, também sabemos que quem deseja crescer e se destacar, precisa acompanhar tendências e se atualizar. Por causa disso, decidimos preparar um conteúdo para falar sobre essa prática e de que maneira ela pode ser aplicada na sua empresa. Tem interesse? Então continue a leitura!

O que significa KYC na prática?

O termo traduzido para o português significa “conheça o seu cliente”. Ele trata das estratégias que são utilizadas para conhecer os consumidores por meio da coleta de dados, com objetivo de oferecer serviços adequados e proporcionar maior segurança. É por isso que ele é bastante comum no mercado financeiro. 

Elas são usadas em estratégias com pessoas físicas e jurídicas, cruzando todos os dados a fim de validar as informações. Dessa maneira, é possível identificar falhas e fraquezas para contorná-las, por meio da aplicação de medidas mais eficazes.

O tema é extremamente relevante e alvo de regulamentações, como a Lei anticorrupção e diversas normas dos órgãos relacionados às operações financeiras. No Brasil, foi criado o órgão Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (Enccla), que define as diretrizes e as políticas públicas envolvidas com a temática. 

Quais empresas precisam aplicar o processo?

Quando se fala em mercado financeiro, muitas pessoas associam apenas às instituições bancárias ou corretores. Porém, a questão é bem mais ampla. Na verdade, a estratégia Know Your Customer (KYC) deve ser aplicada em todas as empresas que sofram com riscos de:

  • lavagem de dinheiro;
  • fraudes financeiras;
  • práticas de corrupção;
  • financiamento ao terrorismo;
  • outras ações que sejam consideradas ameaças financeiras. 

Quais os objetivos do Know Your Customer?

O KYC têm diversos objetivos, em sua maioria, relacionados à proteção dos consumidores e das próprias instituições, além do combate a fraudes. Ainda, o conceito também contribui para o oferecimento de produtos e condições mais personalizadas. 

Para ajudar você a entender essa questão, listamos as principais finalidades dessa estratégia. Olha só:

  • estabelecer a identidade do cliente de forma segura;
  • mapear o perfil do cliente, identificando suas atividades, histórico de crédito e serviços mais adequados;
  • cumprir as rotinas de compliance, que exigem práticas anticorrupção para seguir a legislação sobre o tema;
  • prevenir e identificar práticas como lavagem de dinheiro e outras fraudes;
  • entender se os fundos movimentados pelos clientes são legítimos;
  • prevenir riscos do negócio, relacionados à concessão de crédito ou responsabilização por descumprimento das leis.

Ou seja, ele traz diferenciais importantes que demonstram a seriedade da instituição e o seu compromisso em cumprir a legislação, sempre com o objetivo de manter um ambiente seguro para todos: o cliente, a empresa e toda a sociedade. 

Como colocar o KYC em prática?

Se interessou em colocar o Know Your Customer em prática? Você pode fazer isso com 3 passos simples, veja só!

Identifique os clientes

O primeiro passo é a identificação de clientes, para que seja possível validar a identidade em todas as transações realizadas por ele na empresa, prevenindo a prática de falsidade ideológica. Você vai precisar mapear esse processo e planejar como ele será posto em prática. Em geral, ele envolve: 

  • solicitação de documentos dos clientes para ter um relacionamento com a empresa;
  • análise dos dados cadastrais e rotina para atualização das informações;
  • manutenção do controle sobre todas as alterações feitas. 

Crie pontos de confiança

A confiança é um ponto fundamental nas estratégias de KYC, então é preciso adotar práticas que ajudam a mitigar os riscos e aumentar a proteção oferecida ao consumidor e à própria empresa. Alguns pontos relevantes são:

  • entender a origem do patrimônio dos clientes;
  • ter estratégias para entender a origem e o destino das movimentações;
  • estabelecer práticas para conseguir vetar relacionamentos que tenham alto risco;
  • identificar e, se necessário, reportar situações que possam ser indício de crime.

Mantenha a estratégia ativa

O último passo, na realidade, trata de uma ação contínua: manter a estratégia ativa, monitorando os clientes e as transações realizadas para manter a eficácia do KYC. Se a ação não for estrutura de maneira recorrente, com avaliações constantes, os riscos de fraudes e outras práticas ilegais continuarão a existir.

Outro ponto importante para isso é ter uma estratégia bem estruturada para a mitigação de riscos, com ações que inibam as práticas suspeitas e consigam fazer um monitoramento constante para identificar movimentações incomuns, gerar relatórios e, até mesmo, incluir as pessoas em listas de sanções internas por irregularidades. 

Quais os benefícios do KYC?

O KYC tem como principal benefício a segurança, já que evita práticas criminosas que envolvem o mercado financeiro, mas não é só isso. Ele também garante que a sua empresa seguirá as determinações legais e traz mais proteção para os clientes. 

Toda a segurança proporciona a redução de riscos e, consequentemente, das perdas financeiras que surgem em decorrência de fraudes. Resumindo: é possível otimizar os lucros do seu negócio ao aplicar o KYC. 

Aqui, é essencial ter boas ferramentas para coletar e fazer a análise de dados. Uma dica importante é contar com a biometria facial para trazer mais segurança nos acessos, além de prevenir qualquer prática relacionada à falsidade ideológica.

O conceito de Know Your Customer (KYC) pode parecer complicado de entender, mas é simples. No entanto, a sua aplicação na empresa exige muito planejamento e ferramentas adequadas para conseguir atingir os objetivos propostos. 

Este post foi útil? Então que tal acompanhar outros conteúdos sobre o assunto? Assine a nossa newsletter e receba todas as novidades do blog!

Categorias
Conteúdo

Inteligência Artificial na sociedade: quais as oportunidades?

Tempo de leitura: 5 minutos

Inteligência Artificial: mão segurando a lâmpada com ícones de computação e tecnologia em nuvem

A Inteligência Artificial (IA) é um termo que abrange os computadores e softwares que tem um funcionamento semelhante ao dos humanos, então o sistema consegue analisar dados, criar categorias, fazer recomendações e, até mesmo, tomar decisões.

Portanto, essa tecnologia tem grandes impactos na sociedade e traz oportunidades importantes para o mercado, proporcionando inovação e diferenciais que podem ser implementados pelas empresas para melhorar a experiência dos clientes.

Mas, afinal, quais são as oportunidades e benefícios da Inteligência Artificial? Essa é uma dúvida comum, então preparamos este conteúdo para falar sobre o assunto. Vamos lá?

Como funciona a Inteligência Artificial?

O sistema de IA é bastante complexo, então a sua construção exige atenção para que ela consiga desenvolver habilidades e características humanas, enquanto têm uma boa capacidade computacional. Afinal, o objetivo é superar o que os humanos são capazes de fazer.

Por causa disso, os dispositivos e softwares com Inteligência Artificial não são imutáveis. Eles contam com o Machine Learning, que faz com que a IA consiga fazer inferências e tomar decisões, sempre considerando experiências anteriores. Resumidamente, ela consegue evoluir.

Além disso, o sistema conta com outras ferramentas importantes para o melhor funcionamento do dispositivo, como:

  • neural networks ou redes neurais: uma série de algoritmos que trabalham de modo semelhante às células neurais humanas, identificando a relação que existe entre diversas variáveis e processam os dados como o nosso cérebro faz;
  • visão computacional: esses algoritmos compreendem imagens após fazer uma decomposição e estudar as diferentes partes, o que ajuda no processo de aprendizado;
  • Natural Language Processing (NLP): a máquina lê, entende e interpreta uma linguagem para que possa responder de acordo;
  • computação cognitiva: algoritmos que tentam replicar as ações do cérebro humano em relação a texto, fala, imagens e objetos.

Quais são as oportunidades trazidas pela Inteligência Artificial?

A Inteligência Artificial traz grandes oportunidades, mas se você realmente deseja entendê-las, é preciso desmistificar a ideia de que ela extinguirá postos de trabalho e substituirá completamente a mão de obra humana.

É certo que ela pode substituir algumas funções, mas as etapas de validação humana ainda serão necessárias, exigindo a contratação de trabalhadores. Além disso, nem todas as atividades podem ser realmente substituídas pela IA.

O importante é acompanhar as tendências para compreender como se manter competitivo e se adequar às mudanças.

Novas percepções na análise de dados

O Big Data é uma tendência essencial para os negócios: com a coleta e análise de diversos dados para ajudar na tomada de decisão e desenvolver melhores estratégias, é possível otimizar a gestão e obter melhores resultados.

Porém, analisar todas essas informações é uma tarefa complexa, que não pode ser concluída por nós, humanos, em escala empresarial. É preciso ter tecnologias que façam isso, sendo que a Inteligência Artificial é a principal ferramenta utilizada.

Além disso, com a capacidade de aprendizado, a rapidez e a precisão nessa análise, a empresa consegue ter acesso a novas percepções e tendências percebidas pelo sistema.

Aumento da produtividade

Essa tecnologia pode ser utilizada para agilizar os atendimentos realizados e outras tarefas envolvidas na rotina empresarial, como a análise de dados. Assim, os colaboradores conseguem ter mais tempo para focar em outras rotinas que não podem ser substituídas pela Inteligência Artificial.

É importante validar algumas das tarefas realizadas pela IA, já que ela ainda não consegue contar com fatores relevantes para as decisões e que são características humanas essenciais — a dificuldade para aplicar o bom senso e a possibilidade de que ele gere decisões parciais.

No entanto, mesmo implementando tal etapa de validação, isso ainda agilizará os demais processos internos. Como resultado, a empresa terá uma equipe mais produtiva.

Melhoria na experiência do cliente

Esse é um dos fatores que influenciam no sucesso de um negócio. Se eles têm uma boa experiência na sua empresa e saem realmente satisfeitos com o atendimento prestado, as chances de que eles retornem em outras oportunidades e façam propagandas positivas são maiores.

Nesse caso, o poder de análise de dados e as demais características da IA ajudam a desenvolver estratégias mais eficazes e melhorar o atendimento que você oferece aos clientes.

Inclusive, uma pesquisa realizada pelo MIT Technology Review Insights abordando 1004 líderes de negócio, descobriu que o departamento mais ativo na implantação da tecnologia de Inteligência Artificial é o de atendimento ao cliente, correspondendo a 60% dos interessados. E a tendência é que em 2022 esse volume atinja 73%.

Quais são os benefícios disso para experiência do cliente?

Bom, as oportunidades têm aplicação ampla nos negócios, mas é possível aproveitar todo esse potencial para otimizar a experiência do cliente. Esse é um processo de transformação bem interessante, então explicamos os principais pontos, veja só!

Possibilidade de automatizar atendimentos

Os atendimentos automatizados são ótimos para melhorar a experiência do cliente. Como todo o processo é conduzido pela IA, é possível evitar a formação de filas de espera para ser atendido, além de proporcionar respostas mais rápidas para solucionar problemas. Aqui, os chatbots e assistentes virtuais são bons exemplos de como isso pode ser feito.

Outra possibilidade é o autoatendimento. Com essa tecnologia, cada vez mais os clientes podem fazer todo o atendimento sozinho, sendo que a IA terá como função oferecer instruções, esclarecer dúvidas e resolver problemas. Outra forma de tornar os serviços mais ágeis e facilitar a rotina do consumidor.

Mais personalização para o cliente

A IA consegue analisar os dados para ajudar na compreensão das necessidades dos clientes. Primeiro, isso ajuda a fazer mudanças na estratégias e adotar medidas que atendam aos desejos do público.

Sabe por que isso acontece? A Inteligência Artificial consegue encontrar padrões e fazer a análise preditiva para identificar a probabilidade de que os clientes tenham determinados comportamentos.

Com base nisso, a empresa pode desenvolver os produtos e serviços que supram essa necessidade. Como resultado, os consumidores terão a experiência de  ter itens desenvolvidos para o seu perfil, o que aumenta a sua satisfação.

Melhoria nas estratégias de marketing

Da mesma maneira que a IA pode ser usada para personalizar produtos e serviços para os diferentes perfis de clientes, os dados também podem ser utilizados para o desenvolvimento de estratégias de marketing.

A tecnologia consegue avaliar todas as informações para analisar o comportamento dos consumidores e criar campanhas mais direcionadas, que terão mais chances de atingir os objetivos desejados.

Como fazer uma autenticação mais segura dos usuários?

Um dos pontos essenciais para o uso da Inteligência Artificial é que todos os acessos devem ser seguros, afinal, ela lidará com os dados do sistema. Para isso, a empresa precisa ter boas alternativas para a autenticação. Mas como fazer isso?

A nossa dica é contar com a biometria facial como forma de validar os dados do usuário. Esse tipo de sistema identifica mais de mil pontos do rosto da pessoa, com estratégias anti fraudes como a liveness detection, em que se verifica o reconhecimento feito em um organismo vivo.

Isso ajuda a combater o acesso indevido por terceiros e o vazamento de informações, duas situações que podem trazer muitos prejuízos para o negócio.

Como vimos, a Inteligência Artificial traz grandes oportunidades para a sociedade e pode ser utilizada pelas empresas em diversos processos, especialmente na melhoria de experiência do cliente. Dessa forma, é possível otimizar os processos internos e obter melhores resultados.

Gostou dessas dicas? Para acompanhar outros conteúdos incríveis, assine a nossa newsletter e receba as atualizações do blog em seu e-mail!

Categorias
Conteúdo

O controle de ponto com reconhecimento facial é uma boa escolha? Entenda

Tempo de leitura: 3 minutos

Mulher de negócios passando por controle de ponto

O controle de ponto é uma prática essencial para as empresas. Você sabia que a legislação trabalhista determina que todas as empresas com mais de 20 colaboradores deve manter esse registro? Além disso, mesmo quando existe a obrigatoriedade, essa prática é importante para o cumprimento das obrigações trabalhistas.

Isso acontece por um motivo simples — é por meio desse controle de acesso que a empresa conseguirá calcular corretamente as verbas devidas, como horas extras e adicional noturno, além de ter meios de comprovar judicialmente a jornada trabalhada, caso seja necessário.

Aqui, o uso do reconhecimento facial no controle de ponto é uma ótima alternativa. Quer descobrir o motivo? Então continue a leitura!

Quais são os tipos de controle de ponto?

A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) é responsável por regulamentar os assuntos sobre controle de ponto. Assim, ela determina que as empresas podem utilizar qualquer meio idôneo para fazer os registros, que pode ser manual, mecânico ou eletrônico. Você sabe a diferença entre eles? A gente explica nos próximos tópicos, confira!

Manual

Um sistema manual é feito com livros-ponto ou cartões que são preenchidos pelo trabalhador, indicando os horários de entrada e saída. Apesar do baixo custo, ele aumenta os riscos de problema nos registros e fraudes, como aquelas em que um colega pede para outro preencher o registro, a fim de evitar penalidades por atrasos.

Mecânico

Sabe aqueles relógios em que o empregado insere um cartão para registrar as entradas e saídas? Esse é o controle de ponto mecânico, também chamado de registro analógico. Mais prático e seguro que o manual, mas ainda com riscos de fraudes.

Eletrônico

Por fim, o eletrônico é feito por meio de softwares que contam com medidas de proteção para evitar a alteração dos dados registrados. Nesse caso, a inserção de informações sobre a hora de entrada pode ser validada com diversas ferramentas, como os cartões magnéticos, a biometria digital ou reconhecimento facial.

Como funciona o reconhecimento facial no controle de ponto?

O reconhecimento facial é um método bastante moderno para o controle de jornada, então é natural que surjam dúvidas sobre os benefícios que ele proporciona e se realmente vale a pena investir nessa prática.

O seu funcionamento é complexo, mas simples de entender — o sistema captura a imagem do empregado e verifica se ela corresponde aos registros em seu banco de dados. Ele pode avaliar até mil pontos da face e se o usuário é um organismo vivo, impedindo o uso de fotos, vídeos, máscaras e outros artifícios para burlar o registro.

Vantagens da biometria facial

Se você tem dúvidas sobre a adoção desse sistema, confira três grandes vantagens que ele proporciona e que podem revolucionar a sua empresa:

  • rapidez: a imagem é capturada e processada em segundos. Isso evita a formação de filas e agiliza os processos de entrada ou saída dos colaboradores;
  • contactless: a captura da imagem é feita sem a necessidade de contato do trabalhador com qualquer dispositivo. Depois da pandemia, essa prática se tornou ainda mais importante;
  • segurança: ele traz mais proteção para o processo devido às medidas de prevenção à fraude.

Como implementar a biometria facial no registro de ponto?

Depois de entender as regras sobre controle de ponto e os tipos existentes, deu para perceber que o reconhecimento facial traz diversos benefícios, não é? Nesse momento, provavelmente a dúvida é sobre como implementar essa estratégia.

Para isso, você precisa contar com uma ferramenta especializada, como o IVision Control da FullFace. Apesar de não ser uma ferramenta específica para a gestão de ponto, ele registra a hora em que ocorreu o reconhecimento facial, então a empresa pode implementar o sistema em conjunto com outros softwares para aproveitar os benefícios.

Como foi possível notar, o controle de ponto é essencial para as empresas e o reconhecimento facial é uma ótima maneira de otimizar essa tarefa. Entretanto, para ter sucesso nessa estratégia, você precisa encontrar uma boa parceria para implementar o sistema de biometria com toda a qualidade que o seu negócio precisa.

Então, gostou dessa dica? Se você tem interesse nessa solução para a sua empresa, acesse o nosso site e conheça as soluções da FullFace para o reconhecimento facial!

Categorias
Biometria Facial Conteúdo

5 formas de uso da tecnologia de biometria facial

Tempo de leitura: 4 minutos

Mulher asiática usando tablet para controle de acesso por biometria facial

A biometria facial é uma tecnologia que faz o reconhecimento do usuário, analisando mais de mil pontos da face e também pode contar com ferramentas de liveness detection para determinar se a imagem foi produzida por um organismo vivo ou não. Isso é feito para combater golpes, como tentativas de fraudar o sistema utilizando imagens ou máscaras que replicam a aparência do usuário cadastrado.

Por causa disso, o reconhecimento facial aumenta a segurança em relação à identificação de pessoas, proporciona agilidade no processo de reconhecimento e ainda oferece a tecnologia contactless. Ou seja, ela evita contatos desnecessários e traz mais proteção para todos, principalmente diante dos impactos da pandemia de coronavírus.

Quer saber de que formas essa tecnologia pode ser usada no dia a dia? Então continue a leitura deste conteúdo e confira 5 aplicações da biometria facial!

1. Controle de acesso físico

O controle de acesso físico é uma medida de segurança importante utilizada para verificar as pessoas que entram em alguns ambientes que precisam ser controlados. Isso pode ser feito por diversos motivos, como para acompanhar a movimentação e ter os dados de quem acessou o espaço, ou como forma de verificar se ela tem as credenciais necessárias para frequentar a área.

O mais comum é que isso seja feito com o uso de cartões, crachás ou processo manuais, apresentando dados para uma pessoa responsável, como o porteiro, para que ele tome as medidas necessárias. O problema é que isso aumenta o risco de fraudes e também exige mais tempo para a conclusão das etapas.

É por isso que a biometria facial se torna uma solução interessante para lugares que ofereçam riscos a terceiros, armazenem itens que exijam segurança (como dinheiro, armas, medicamentos, dados etc.) ou tenham outras características que precisam de um controle sobre quem entra e sai daquele local. Isso vale para empresas, condomínios e outros espaços públicos ou privados.

Outra forma de utilizar essa tecnologia e que tem relação com o controle de acesso é a marcação de ponto dos colaboradores. A biometria com impressão digital já é bastante comum, mas o reconhecimento facial pode ser utilizado para trazer mais proteção e agilidade ao processo.

2. Identificação em ambiente digital

Uma tendência crescente nas empresas é a ampliação dos ambientes digitais, que guardam informações sobre o negócio e contam com ferramentas necessárias para o trabalho. Mas como existem diferentes cargos e funções, é necessário controlar quem tem acesso aos diversos dados e criar formas de identificar todos os usuários.

O uso de login e senha simples é a forma mais comum, porém, também aumenta os riscos de acessos indevidos e vazamentos. Como é preciso investir em segurança da informação e práticas antifraudes, a biometria facial consegue proporcionar maior proteção para sistemas públicos e privados.

Essa tecnologia pode ser usada em sites e aplicativos que exijam a identificação do cliente. Alguns exemplos comuns são os serviços bancários e sites de e-commerce, especialmente quando elas envolvem serviços financeiros que demandam maior proteção contra fraudes. 

Inclusive, vale lembrar que essa ferramenta já é bastante comum em alguns modelos de smartphones, que contam com uma função de desbloqueio por reconhecimento facial que, além de inibirem fraudes, melhoram também a experiência do usuário. No iPhone, o Face ID é utilizado desde 2017, mas já existem ferramentas disponíveis nos celulares de outros modelos também.

3. Comando para ações

Outra aplicação interessante da tecnologia de biometria facial é a implementação de comandos para ações. Ao reconhecer o rosto do usuário, podem ser cadastradas diferentes tipos de mensagem para que o sistema realize uma operação, por exemplo:

  • abrir ou travar portas;
  • acender luzes;
  • emitir alertas.

Nesse caso, o foco é a praticidade, já que automatiza as ações ao reconhecer o usuário, mas também tem relação com a segurança. Por exemplo, a identificação de determinadas pessoas ou terceiros não reconhecidos pode ser o suficiente para emitir alertas sobre riscos e invasões.

Um ponto interessante é que a biometria pode ser integrada a câmeras de longa distância, como aquelas de monitoramento, permitindo uma utilização mais ampla tanto para o comando de ações, quanto ao controle de acesso dos ambientes.

4. Realização de pagamentos

A realização de pagamentos com meios alternativos ao dinheiro e entrega de cartão de crédito ganha cada vez mais espaço, enquanto pode trazer insegurança para os usuários. É certo que o uso da tecnologia ainda é questionado por muitas pessoas preocupadas em relação à aplicação de golpes.

Diante disso, a biometria facial pode ser integrada a diversos meios de pagamento, como forma de validar a identidade do usuário e liberar a transação financeira. Além de aumentar a segurança desse pagamento, por reduzir os riscos de fraudes, a prática ainda beneficia as empresas.

Após qualquer compra, a escolha de meio de pagamento exige tempo. No dinheiro, é preciso indicar o valor e calcular o troco, enquanto o cliente pode demorar um pouco procurando as notas. No cartão, os processos de espera da máquina, inclusão de senha e emissão de comprovantes leva tempo.

Já o pagamento por biometria facial consegue proporcionar mais agilidade. Um sistema de qualidade consegue fazer o reconhecimento em segundos, garantindo a segurança da transação em menor tempo. Com isso, você consegue agilizar atendimentos, evitar filas e deixar os clientes mais satisfeitos. Incrível, não é mesmo?

5. Proteção de lockers

Os lockers públicos ou privados são muito importantes, já que agilizam processos de entrega de produtos aos clientes e permitem o armazenamento de objetos pessoais. Porém, o fechamento com chaves comuns aumenta os riscos de violação desses armários.

Nesse caso, a aplicação da biometria facial é semelhante a que acontece no controle de acessos, a validação do usuário é feita para que o sistema libere a abertura da porta. Você sabia que segurança proporcionada pela ferramenta permite o aumento do uso de lockers nos negócios?

Por exemplo, um comércio pode oferecer as vendas online ou por telefone, separar as mercadorias e deixá-las em um armário trancado. Depois, o usuário se desloca até o local, faz o reconhecimento e retira os produtos. Isso agiliza atendimentos, enquanto também evita filas e aglomerações. Esse pode ser um diferencial incrível para se destacar da concorrência e tornar seu negócio mais moderno e atrativo.

Como você percebeu, a biometria facial tem diversas aplicações no dia a dia das pessoas, então vale a pena investir nessa tecnologia. Para isso, é fundamental contar com uma boa parceria, como a Fullface. Fornecemos produtos para atender a diferentes demandas, afinal, nosso objetivo é estar presente em todos os processos que você precise identificar quem é o usuário.

Achou este conteúdo interessante? Depois de aprender de que forma o reconhecimento facial pode ser utilizado, que tal implementar essa solução? Acesse o site da FullFace e saiba mais sobre os nossos serviços!

Categorias
Conteúdo

Onboarding digital: entenda a importância para os serviços bancários

Tempo de leitura: 3 minutos

Onboarding digital: imagem de rosto de asiático

O processo de onboarding digital traz diversos benefícios para o setor financeiro, mas ainda enfrenta resistência por algumas empresas do setor pelas preocupações com a segurança da informação.

Enfrentar mudanças exige preparo, mas é um desafio necessário. Você também passa por isso?

Isso é realmente comum, o que torna fundamental discutir a importância que o onboarding digital proporciona e como é possível implementar essa estratégia. É sobre isso que falaremos neste post, acompanhe!

Quais são os desafios do onboarding tradicional?

O onboarding é aquele processo de captura e cadastros de clientes: ele comparece à instituição, faz o cadastro, assina documentos e escolhe senhas, geralmente após longas filas. Não podemos negar que seja um processo normal, mas no cenário atual ele não é mais adequado.

O tempo é extremamente valioso, então precisar se deslocar, enfrentar trânsitos e filas, aguardar a análise e cópia de documentos, pode se tornar um impeditivo para os clientes. Mesmo que parte do procedimento seja feito de forma digital, quando a presença é exigida isso atrapalha a experiência do consumidor.

Considerando o crescimento dos meios digitais e que diversos serviços já são contratados sem a presença do consumidor, contando com processos totalmente online, se manter exigindo os meios tradicionais também pode afastar os clientes. Não tem como se manter competitivo, quando não se considera a experiência do usuário e formas de facilitar o dia a dia.

A importância do onboarding digital

O onboarding digital é uma ferramenta que ajuda a manter a competitividade e conquistar os clientes, além de agilizar os processos. Mesmo que não tenha o contato direto com o cliente, ele permite a realização de diversas ações importantes para o negócio.

Você pode oferecer materiais que ajudem no uso da plataforma, mostrar conteúdos ricos e sempre pensar nas melhores funcionalidades para o consumidor. A facilidade de uso com o banco digital ajuda a atrair clientes, então aproveite isso para incentivar o uso do seu produto. Um complemento importante para isso é oferecer um sistema intuitivo, afinal, o foco é a praticidade.

Ferramentas muito complicadas, que não tenham informações claras sobre os passos, afastam os clientes devido à dificuldade e, até mesmo, à insegurança que isso traz. Para complementar, use ferramentas que incentivem o cliente a conhecer os produtos e utilizá-los.

Como funciona o onboarding digital?

O onboarding digital é feito com diversas etapas de validação e auxílio ao usuário, que acessa a plataforma ou aplicativo pelo computador, celular ou tablet. É bastante simples — ele deve inserir todos os dados e documentos, para que as informações sejam validadas. Uma prática comum para auxiliar na segurança é solicitar o envio de fotografias dos documentos.

Normalmente, a preocupação com esse tipo de processo é a segurança, já que poderia ajudar na prática de fraudadores que tenham acesso aos documentos. É aqui que as medidas de proteção aplicadas fazem toda a diferença.

Não é porque o cliente não compareceu pessoalmente portando o seu documento de identidade que não é possível garantir a validade dos dados. Nesse momento, tecnologias de análise de documentos e a biometria facial fazem toda a diferença, já que identificam o usuário por meio de selfies, comparando com os demais registros obtidos.

Como o reconhecimento facial auxilia no onboarding digital?

O reconhecimento facial é uma tecnologia que pode avaliar mais de mil pontos da face, a fim de garantir a segurança no processo de validação e a identidade do cliente. Ela é feita com base na captura da imagem do usuário feita na hora.

A biometria facial  compara a imagem com o registro, como o da identidade, e também usa sistemas liveness detection, que identifica se o usuário está vivo. A ideia é impedir fraudes com reprodução de imagens, vídeos, máscaras, etc. Dessa maneira, mesmo à distância é possível ter mais segurança no onboarding.

Com este conteúdo, deu para perceber como a tecnologia e o onboarding digital são importantes para os serviços bancários. Os usuários buscam cada vez mais praticidade e ter que comparecer a agências vai contra esse desejo. Por isso, a solução online é essencial, mas cabe à instituição procurar sempre soluções de proteção para a validação de dados e combate às fraudes, especialmente com o reconhecimento facial.

Então, gostou deste conteúdo? Para acompanhar outras dicas interessantes, assine a nossa newsletter e receba as atualizações do blog em seu e-mail!

Categorias
Conteúdo Inovação

Acesso remoto: como manter a rede corporativa segura?

Tempo de leitura: 5 minutos

Se a sua empresa trabalha com acesso remoto, é essencial investir na segurança da rede corporativa. Confira as principais dicas sobre!

Em tempos de crescimento do home office, com uma tendência clara de permanência desse modelo de contratação em muitas empresas, a segurança cibernética da rede corporativa fica em evidência. Isso acontece devido ao aumento de endpoints existentes com o acesso remoto e, consequentemente, das possibilidades de invasão.

Com isso, surge a preocupação sobre como é possível aumentar a segurança na rede corporativa, a fim de proteger as informações empresariais e evitar invasões ou vazamentos.

Se você tem essa dúvida, continue a leitura deste conteúdo e saiba como manter a rede da sua empresa segura ao utilizar o acesso remoto!

Quais são as vantagens do acesso remoto?

Adotar o acesso remoto na empresa, independentemente do trabalho home office, traz diversos benefícios. Quer saber quais são? Olha só!

Mobilidade

Sem dúvidas, a mobilidade é o principal benefício que o acesso remoto proporciona, já que permite que gestores e colaboradores acessem a rede corporativa de qualquer lugar, basta ter um dispositivo, como notebook e uma conexão segura.

Com a adoção desse modelo de trabalho, a equipe consegue otimizar a rotina nos dias em que não precisam comparecer à empresa. Sem longas horas de trânsito e deslocamento fica mais fácil trabalhar tranquilo, com menos estresse e cansaço.

Não podemos esquecer que nas empresas que exigem viagens da equipe, essa tecnologia é ainda mais vantajosa, já que permite ao colaborador o acesso a todos os dados necessários. Não é preciso entrar em contato para solicitar informações e aguardar o retorno do setor responsável.

Redução de despesas

Quando os colaboradores trabalham com o acesso remoto livremente, a empresa pode diminuir despesas relacionadas à infraestrutura. O motivo é simples: se os colaboradores podem realizar suas funções por home office, não é preciso ter o espaço físico para todos.

Normalmente, mesmo que seja necessário que eles compareçam em determinados dias, dá para criar escalas de revezamento e diminuir o espaço necessário para o ambiente. Junto a isso, o número de móveis e equipamentos também é reduzido, assim como os gastos com energia elétrica e outros recursos.

Os trabalhadores também economizam: trabalhando de casa, eles têm menos custos com transporte e alimentação fora de casa, que tem custos mais altos — mesmo com benefícios da empresa, é comum que o empregado precise pagar uma parcela, que é descontada na folha de pagamento. 

Além disso, como eles não precisam investir tempo no deslocamento, colaboradores terão mais tranquilidade na rotina para se dedicar em outras tarefas, como atividades de lazer, estudos ou convivência familiar. 

Suporte de TI

Com a tecnologia de acesso remoto, é possível receber suporte do time de TI sem precisar de deslocamento. Os profissionais conseguem acessar a máquina por meio de ferramentas específicas para fazer diagnósticos e, se o problema for relacionado ao software, também podem realizar todos os reparos necessários.

Isso agiliza a solução de problemas nos computadores da equipe, o que aumenta a produtividade dos colaboradores, já que reduz o tempo de indisponibilidade de sistemas.

Quais são as desvantagens do acesso remoto?

São vários benefícios que o acesso remoto proporciona, porém, também temos algumas desvantagens para apresentar. Confira a seguir.

Vulnerabilidade e segurança

O principal ponto de atenção em relação ao acesso remoto são os riscos em relação ao acesso de terceiros aos dados da empresa, que podem ser potencializados. Assim, é preciso ter ferramentas adequadas para a segurança da informação e no controle de login pelos colaboradores.

Além disso, é preciso atenção redobrada às máquinas que não estão na empresa, o que exige participação dos colaboradores. Se o dispositivo que tenta se conectar estiver infectado por um vírus, por exemplo, os dados da empresa podem ser comprometidos. O sequestro ou o vazamento de informações são riscos que devem ser considerados e combatidos ao implementar essa estratégia.

Confiabilidade da conexão

Os colaboradores precisam contar com uma conexão de qualidade para conseguir manter o acesso aos dados da empresa e realizar o trabalho. Uma internet de qualidade e com boa velocidade tem custos, logo, você precisa avaliar os impactos que isso trará nas despesas do home office para o empregado.

Também existem os riscos de instabilidade no serviço, como quedas da conexão ou indisponibilidade da rede. Por isso, é importante que a empresa procure alternativas que ofereçam mais segurança em relação à continuidade da conexão.

Como manter a rede corporativa segura?

Todas as desvantagens do acesso remoto na rede corporativa podem ser contornados com medidas adotadas pela empresa, principalmente em relação à segurança. Veja as dicas essenciais para fazer isso!

Eduque os colaboradores

O papel dos colaboradores na segurança da rede é indiscutível, já que são eles que terão acesso ao sistema. Portanto, qualquer medida deve começar com a conscientização da equipe a respeito dos riscos existentes e das práticas de proteção que devem ser observadas.

Existem várias opções para isso, sendo que os mais importantes são os treinamentos e as atualizações constantes. Além disso, vale a pena desenvolver materiais e tutoriais de fácil acesso para que os colaboradores esclareçam qualquer dúvida que possa surgir.

Ao liberar a rede corporativa para a equipe, não se esqueça de avaliar as políticas de acesso, com restrições conforme hierarquia e cargos, sempre considerando a confidencialidade das informações e as funções de cada um.

Invista em antivírus e firewalls

Os firewalls são ferramentas importantes para que as informações fiquem seguras, já que barram o acesso por usuários e conteúdos considerados maliciosos. Dessa maneira, eles conseguem aumentar a proteção e a integridade dos dados, além de bloquear sites e atualizar protocolos de segurança automaticamente.

Como eles têm critérios de segurança bem determinados com padrões, se tornam essenciais para o acesso remoto na rede corporativa. Em complemento, os antivírus são ferramentas importantes para ajudar na proteção dos dispositivos em conjunto com o firewall.

Portanto, verifique todos os equipamentos da empresa e equipe, para garantir que eles contem com essas ferramentas. Desktops, notebooks, tablets, smartphones, enfim, qualquer dispositivo que tenha acesso à rede precisa contar com essas medidas de proteção.

Use uma rede virtual privada (VPN)

O acesso remoto é feito pela internet que é uma rede pública, então é importante encontrar formas de aumentar a segurança. O VPN, ou Virtual Private Network, faz exatamente isso ao criar um canal de comunicação privado, transmitindo informações criptografadas que são decodificadas quando chegam ao destino.

Por causa disso, ele proporciona mais privacidade à empresa e segurança para as informações disponíveis na rede. Existem diversos tipos de VPN que podem ser usados, mas a indicação ideal dependerá das necessidades e do perfil do negócio.

Invista na validação de identidade

A validação de identidade dos usuários para liberar o acesso ao sistema é um dos principais pontos de atenção para a segurança da rede corporativa. Aqui, temos uma dica incrível: invista na biometria facial.

Conte com uma plataforma de reconhecimento facial para identificar os usuários nos ambientes digitais e para gerenciar acessos às informações da empresa. Com a tecnologia liveness detection, que identifica que a imagem capturada é de um organismo vivo e não uma reprodução, a rede corporativa ficará mais segura.

O segredo, aqui, é procurar sistemas de qualidade e contar com empresas que sejam referência no mercado para contratar o serviço. Isso tornará a implementação do trabalho remoto na sua empresa muito mais segura e tranquila.

Deu para perceber que o acesso remoto traz benefícios para a empresa, mas também oferece alguns riscos, não é mesmo? Porém, aplicando as medidas de segurança que explicamos neste post, é possível proteger a rede corporativa e todos os dados salvos.

Então, este post esclareceu o assunto? Para ficar por dentro de mais dicas sobre segurança para a sua empresa, siga as nossas páginas nas redes sociais e acompanhe as atualizações. Nos vemos no Instagram e no LinkedIn!

Categorias
Biometria Facial Conteúdo

Prova de vida no reconhecimento facial: conheça a Liveness Detection

Tempo de leitura: 3 minutos

Você já conhece a tecnologia Liveness Detection no reconhecimento facial? Essa é uma ferramenta importante para a prova de vida dos usuários.

O reconhecimento facial é uma ferramenta de biometria que avalia os padrões da face para fazer a identificação do usuário. Porém, se ele analisa apenas os traços, seria possível utilizar fotografias ou vídeos para burlar o sistema? É aqui que a tecnologia Liveness Detection, ou prova de vida, se torna essencial.

A aplicação de medidas para impedir que terceiros invadam o sistema é um requisito importante para contar com a biometria facial, afinal, se a ideia é trazer segurança ao identificar as pessoas, o objetivo é que não seja possível cometer fraudes, certo?

Por isso, neste conteúdo vamos conversar sobre como funciona essa prova de vida e os benefícios de adotar o reconhecimento facial na sua empresa. Boa leitura!

O que é a ferramenta de Liveness Detection?

A Liveness Detection é a tecnologia que detecta se a identificação é feita com um indivíduo real e vivo, em vez de utilizar imagens de terceiros e outros artifícios para fraudar o sistema de biometria. De forma resumida, é uma medida de proteção que aumenta a segurança do sistema de reconhecimento facial.

O objetivo é ir além da simples detecção de semelhança entre a imagem recebida e os dados do sistema ele diferencia características do indivíduo ao vivo com a reprodução de cópias que podem ser feitas por fotos, vídeos, máscaras e outros artifícios.

Assim, ele considera e compara os aspectos e traços presentes em imagem 2D, representação digital ou impressão em 3D com as características esperadas nas imagens ao vivo para identificar e combater as tentativas de spoofing.

Como essa tecnologia funciona?

O reconhecimento facial com Liveness Detection pode ser feito com um processo ativo ou passivo. Cada um tem características específicas e pode ser usado separadamente ou em conjunto, mas a seguir você entenderá como eles funcionam e suas diferenças.

Liveness Detection Ativo

O processo de Liveness Detection nativo é feito quando o sistema solicita que o usuário realize alguma ação específica, como piscar, sorrir ou fazer determinados movimentos no rosto, sempre com opções que não poderiam ser simuladas. Inclusive, essa é a ferramenta utilizada para a prova de vida digital, que começou a ser utilizada pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em agosto de 2020.

Liveness Detection Passivo

O modelo passivo não precisa que o usuário realize interações solicitadas pelo sistema, pois a segurança é garantida por meio de algoritmos específicos que detectam as microvariações de angulação e iluminação das  imagens enviadas, impossibilitando a utilização de fotos e vídeos para a realização do processo de autenticação. Eles capturam os dados biométricos da face em alta qualidade, para verificar a identidade do usuário.

Nesse caso, além de aumentar a segurança da validação, a ferramenta também traz mais agilidade. A realização de uma série de movimentos a cada login ou na entrada de um estabelecimento pode gerar atrasos e transtornos, sem contar os possíveis constrangimentos aos usuários. Assim, é importante contar com opções mais amigáveis.

Quais são os benefícios do reconhecimento facial?

O primeiro benefício, sem dúvidas, é a segurança no acesso. Não surgem riscos como o vazamento de senhas, já que é exigida a presença do usuário para o reconhecimento facial, então essa é uma ferramenta bastante eficiente para a prevenção de fraudes.

Outra vantagem é que essa é uma tecnologia contactless, pois o reconhecimento é feito pela proximidade e é possível encontrar dispositivos que funcionam em diferentes distâncias. Isso evita a contaminação de superfícies e traz mais segurança para a saúde dos usuários.

A experiência do usuário, que é um fator muito relevante na escolha de sistemas para a empresa, também é aprimorada. Como o reconhecimento é feito de forma rápida, especialmente com o processo passivo, ele conseguirá lidar melhor com a etapa de validação da identidade.

Ademais, a biometria com Liveness Detection previne a prática de fraudes pelo uso de imagens que podem ser facilmente obtidas na internet, principalmente com o grande uso de redes sociais para compartilhar fotos e vídeos.

Para aproveitar todos os benefícios, sem prejudicar a segurança, é essencial contar com ferramentas de qualidade. Na FullFace você encontra soluções completas para o reconhecimento facial com a tecnologia Liveness Detection e diferenciais importantes para a empresa, como o uso de 1024 pontos de referência na face e sem armazenamento de imagens, tornando o processo compliance à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Gostou do conteúdo? Se você busca uma boa ferramenta de biometria facial, acesse o site da FullFace e confira as nossas soluções!